Notícias
Início : 
19/03/2009 (3174 leituras)
Projetos sociais para crianças e adolescentes também em Cubatão

Sete iniciativas realizadas no estado de São Paulo, que visam a proteção e o desenvolvimento infanto-juvenil, receberam recursos do Programa Amigo Real

Assessoria de Imprensa do Banco Real *

Cerca de R$ 968 mil fomentarão iniciativas sociais em São Paulo nas cidades de Taquarituba, Tejupá, Cubatão, Salesópolis, Tabarai e Buritama. Isso se deu por meio do Programa Amigo Real, que, baseado no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) – lei 8.069, facilita aos funcionários, clientes e fornecedores o direcionamento der 6% do IR devido a iniciativas desse tipo. Empresas podem destinar até 1% do IR devido apurado sobre o lucro real. Em 2008, o Grupo Santander Brasil arrecadou R$ 4,7 milhões para apoiar projetos sociais em 17 estados brasileiros. Um total de 19 mil pessoas físicas e jurídicas contribuiu, sendo que 17.540 eram funcionários. O Grupo Santander Brasil contribuiu com R$ 1,2 milhão.

Projetos

Futuro Verde (Tarabaí) - Tarabaí registra casos crescentes de adolescentes envolvidos com gravidez precoce, uso de drogas e diversos delitos. Diante dessa realidade, o projeto visa fortalecer o papel da escola como elemento de socialização, proteção e desenvolvimento do público infanto-juvenil, por meio de oficinas de leitura, artes, esporte e atendimento psicológico para cerca de 100 adolescentes. A compra de equipamentos e a formação de parcerias com instituições e órgãos públicos para o início de oficinas de educação ambiental que serão oferecidas aos adolescentes já estão concluídas. O projeto tem conseguido que todos os beneficiários permaneçam na escola.

Brincando e Aprendendo (Taquarituba) - O projeto atende 262 crianças, de 0 a 6 anos, de famílias de baixa renda que vivem de trabalhos sazonais (bóias-frias) e com renda entre um e dois salários mínimos mensais nas épocas de safra, oferecendo atividades psicopedagógicas, lazer, com atenção à saúde e alimentação balanceada. Os objetivos são possibilitar o desenvolvimento integral das crianças e orientar as mães sobre o desenvolvimento infantil. Em 2009, o foco principal será a conquista de uma maior adesão das famílias ao projeto, por meio da oferta de atividades diversificadas e da criação de horários alternativos de atendimento. Também está prevista a cobertura do pátio, a construção de um palco para atividades culturais e a adequação de um espaço para a instalação de um pequeno parque infantil.

Reciclando Vida (Buritama) - A cidade de Buritama se dedica essencialmente à agricultura. Já sua vulnerabilidade sócio-econômica coloca crianças e adolescentes em risco de fracasso escolar, exploração sexual e uso de drogas. Para enfrentar essa realidade, o projeto vem atendendo 200 beneficiários, a fim de promover a melhoria das relações afetivas e o desempenho escola, capacitando adolescentes e seus familiares para o trabalho. A proposta em 2009 é ampliar o número de participantes, promover a interrupção do ciclo de violência e fortalecer os vínculos familiares e comunitários.

Re-ação (Tejupá) - Em Tejupá, 36,4% da população sobrevive com meio salário mínimo ao mês. Nesse contexto, os adolescentes entram cedo no trabalho para ajudar a família, o que favorece o aumento da evasão escolar. Para mudar essa realidade, o projeto atende 83 jovens e tem como objetivos promover o retorno, permanência e desempenho escolar e ainda melhorar as relações familiares e elevar a auto-estima do público atendido. Foi firmada parceria com a escola para acompanhamento permanente do desempenho escolar dos adolescentes e foram iniciadas oficinas nas áreas de artesanato, vivência para o trabalho com informática e vendas. Em 2009, o objetivo é priorizar o ingresso de adolescentes que estejam fora da escola, residam em zonas de exclusão e sejam pobres. Dar continuidade às ações em andamento e introduzir cursos de inglês, dança e webdesign para favorecer o acesso ao mercado de trabalho.

Teen Barulho (Salesópolis) - O Conselho Tutelar de Salesópolis atende a 500 ocorrências mensais, envolvendo abandono material e intelectual, agressões físicas, psicológicas e sexuais. O índice de evasão escolar é elevado e não existem atividades no período extra-escolar. O projeto busca promover a inclusão social e fortalecer o desempenho escolar das crianças e adolescentes. Para tanto, oferece oficinas de artesanato, arte, canto, costura, sexualidade, percepção corporal e sensorial. Busca também, atuar na prevenção da gravidez precoce, doenças sexualmente transmissíveis, uso de drogas e exploração sexual. Atualmente são atendidos 160 beneficiários, de 7 a 17 anos. Foram concluídas as reformas nas instalações e a compra de materiais para a realização das atividades previstas. Para 2009, além da prevenção da violação de direitos de públicos vulneráveis, o projeto assumirá o objetivo de atender aqueles que já sofreram violações, buscando restaurar direitos, reduzir danos e evitar a reincidência deste quadro. A estratégia de ação continuará baseada em oficinas de educação complementar, mas haverá a inclusão de atendimento social e psicológico.

Rahamin (São Paulo) - São Paulo é uma metrópole na qual o desenvolvimento contrasta com inúmeros problemas sociais. Um dos principais deles pode ser visto cotidianamente pelos habitantes da cidade: crianças e adolescentes em situação de rua, vítimas da pobreza, maus tratos e negligência da família e do Estado. O projeto busca resgatar esse público das ruas do centro expandido e, atualmente, atende 150 beneficiários. O trabalho é dividido em quatro fases: aproximação, acolhida, abrigo e tentativa de recondução da criança à vida familiar. Nesta última etapa, a criança é encaminhada para famílias acolhedoras ou para sua família de origem. A proposta para 2009 é aprofundar seu foco e esforços na restauração do direito à convivência familiar.

Estrela do Mar Cota 200 (Cubatão) - Cubatão é palco de grande contraste social e abriga grandes indústrias e favelas. Como conseqüência, há uma grande quantidade de crianças e adolescentes em situação de pobreza e exclusão social. Dessa forma, o projeto concentra sua atuação no Bairro Cota 200, no qual famílias residem numa área geográfica de risco - encostas situadas na periferia. O objetivo é possibilitar a 101 beneficiários, com dificuldades de aprendizagem e repetência, condições para que permaneçam na escola, melhorem seu desempenho e tenham acesso aos serviços públicos do município. O projeto oferece oficinas educativas e culturais. As famílias são atendidas por meio de palestras e reuniões de orientação. Concluída a reforma das instalações e a compra de materiais para as oficinas, que já estão em curso: escolar, de esporte, canto, dança e artesanato. O projeto planeja também uma forma de apoio às famílias no processo de remoção das habitações do Bairro Cota 200 para outro mais próximo à zona central de Cubatão. Em 2009, a iniciativa focará seus esforços na situação de irregularidade do bairro Cota 200 em busca da melhoria no convívio familiar e comunitário dos beneficiários atendidos, cooperando para que a transferência para outro local ocorra mediante um projeto habitacional adequado. A estratégia de ação continuará contando com oficinas de educação complementar, mas o atendimento social e psicológico do público ganhará mais espaço.

* GWA Comunicação Integrada

Cerca de R$ 968 mil fomentarão iniciativas sociais em São Paulo nas cidades de Taquarituba, Tejupá, Cubatão, Salesópolis, Tabarai e Buritama. Isso se deu por meio do Programa Amigo Real, que, baseado no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) – lei 8.069, facilita aos funcionários, clientes e fornecedores o direcionamento der 6% do IR devido a iniciativas desse tipo. Empresas podem destinar até 1% do IR devido apurado sobre o lucro real. Em 2008, o Grupo Santander Brasil arrecadou R$ 4,7 milhões para apoiar projetos sociais em 17 estados brasileiros. Um total de 19 mil pessoas físicas e jurídicas contribuiu, sendo que 17.540 eram funcionários. O Grupo Santander Brasil contribuiu com R$ 1,2 milhão.

Projetos

Futuro Verde (Tarabaí) - Tarabaí registra casos crescentes de adolescentes envolvidos com gravidez precoce, uso de drogas e diversos delitos. Diante dessa realidade, o projeto visa fortalecer o papel da escola como elemento de socialização, proteção e desenvolvimento do público infanto-juvenil, por meio de oficinas de leitura, artes, esporte e atendimento psicológico para cerca de 100 adolescentes. A compra de equipamentos e a formação de parcerias com instituições e órgãos públicos para o início de oficinas de educação ambiental que serão oferecidas aos adolescentes já estão concluídas. O projeto tem conseguido que todos os beneficiários permaneçam na escola.

Brincando e Aprendendo (Taquarituba) - O projeto atende 262 crianças, de 0 a 6 anos, de famílias de baixa renda que vivem de trabalhos sazonais (bóias-frias) e com renda entre um e dois salários mínimos mensais nas épocas de safra, oferecendo atividades psicopedagógicas, lazer, com atenção à saúde e alimentação balanceada. Os objetivos são possibilitar o desenvolvimento integral das crianças e orientar as mães sobre o desenvolvimento infantil. Em 2009, o foco principal será a conquista de uma maior adesão das famílias ao projeto, por meio da oferta de atividades diversificadas e da criação de horários alternativos de atendimento. Também está prevista a cobertura do pátio, a construção de um palco para atividades culturais e a adequação de um espaço para a instalação de um pequeno parque infantil.

Reciclando Vida (Buritama) - A cidade de Buritama se dedica essencialmente à agricultura. Já sua vulnerabilidade sócio-econômica coloca crianças e adolescentes em risco de fracasso escolar, exploração sexual e uso de drogas. Para enfrentar essa realidade, o projeto vem atendendo 200 beneficiários, a fim de promover a melhoria das relações afetivas e o desempenho escola, capacitando adolescentes e seus familiares para o trabalho. A proposta em 2009 é ampliar o número de participantes, promover a interrupção do ciclo de violência e fortalecer os vínculos familiares e comunitários.

Reação (Tejupá) - Em Tejupá, 36,4% da população sobrevive com meio salário mínimo ao mês. Nesse contexto, os adolescentes entram cedo no trabalho para ajudar a família, o que favorece o aumento da evasão escolar. Para mudar essa realidade, o projeto atende 83 jovens e tem como objetivos promover o retorno, permanência e desempenho escolar e ainda melhorar as relações familiares e elevar a auto-estima do público atendido. Foi firmada parceria com a escola para acompanhamento permanente do desempenho escolar dos adolescentes e foram iniciadas oficinas nas áreas de artesanato, vivência para o trabalho com informática e vendas. Em 2009, o objetivo é priorizar o ingresso de adolescentes que estejam fora da escola, residam em zonas de exclusão e sejam pobres.

 
 

Inclua esta Notícia nas Redes Sociais

Comentários

 

Não serão publicados comentários ofensivos

Enviado por Tópico